Maria Fernanda
31 anos
Rio de Janeiro / Recife
email

Meu Fotolog

Eu leio

abobrinha
bocozices
montanha russa
meu outro eu
mudando de assunto
ornitorrinco
penso logo hesito
pururuca
mary w

 

Gulinias Antigas


Dezembro 2003

Janeiro 2004

Fevereiro 2004

Março 2004

Abril 2004

Maio 2004

Junho 2004

Julho 2004

Agosto 2004

Setembro 2004

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

 


Powered by Blogger




 


   30.11.04  
Adivinhem como anda o meu humor?

Há dois dias que meu prédio está sem água.
Isso mesmo, sem água.
Hoje vim para o trabalho de mala e cuia.
Vou me alojar no apartamento vazio do meu avô.
Ficarei lá, abandonada, sem computador, sem televião e sem rádio(mas com água, muita água), até que a situação se normalize.
E eu não quero falar mais nisso.





   24.11.04  
Dia a dia

Eu não queria entrar aqui e ficar reclamando da vida, até porque ultimamente eu nem tenho muito do que reclamar. Mas eu quero fazer um protesto. Venho percebendo que todas as quartas-feiras os dias estão ficando lindos, lindos, lindos.
O céu azulzinho, sem nenhuma nuvem, o sol brilhando e o mar calmo , calmo (eu vejo o mar do meu trabalho) e eu aqui trancafiada entre paredes, computadores, cadeiras, ofícios e memorandos. E até chegar sábado a gente sabe que o tempo muda... Queria que toda quarta fosse um sábado!

Aproveito e faço a seguinte pergunta: o que são aqueles postes branco de quintal por toda extensão da Marquês de São Vicente? Ninguém vai falar que está achando aquilo bonito, né? Aqueles fios pendurados... Se fosse no subúrbio nego ia logo chamar de cafona, brega ou algo similar, mas como é na Gávea as pessoas fingem que é fashion. Eu tenho vontade de derrubar todos eles.

E hoje peguei um ônibus cheio pra ir para o trabalho. E fiquei em pé em frente a um banco que estava um cara corrigindo uns trabalhos. Eram trabalhos de geografia sobre a Oceania. Primeiro eu fiquei encucada, pois eu não sabia que ainda existia professores que passam megas trabalhos sobre a Oceania (ou algo do tipo, vocês sabem do que eu estou falando... aquele 'aprendizado' bem inútil); depois percebi que ele não lia nenhum trabalho. Tinha aluno que botava mapa, fazia esquema, escrevia pra caramba e ele nem lia, só passava os olhos. Já estava angustiada com aquilo. A maioria tirou 10,0 (dez), só um pobre coitado que tirou 5,0 (cinco). Não entendi o critério dele de correção. Tudo bem, eu não tenho nada a ver com isso, mas o que eu ia fazer em pé em um ônibus lotado, nem dormir dava.



   18.11.04  
Esse tempo nublado, essa chuva que cai lá fora, esse vento frio...

me dá um sono...



   16.11.04  
Recordar é viver

Reencontrei uma galera do tempo da faculdade em um almoço
E como é de praxe em qualquer encontro de ex-alunos de qualquer faculdade, escola ou similares, falamos dos professores.
A gente relembrou de uma professora de história da arte que ficava puta, transtornada mesmo, quando no meio da aula algum aluno perguntava pra ela sobre a vida íntima de um artista.

Era assim, ela falando magnanimamente sobre a action pacting de Pollock e vinha alguém e indagava:

- Mas o cara era alcoólatra mesmo?

Ou, ela discursava sobre a fisicalidade pictórica das pinceladas de Van Gogh, e sempre tinha alguém mais interessado em saber se ele era maluco ou não.

Ou então, ela falava sobre a pintura mexicana, dando exemplo de Frida Khalo e perguntavam:

- Mas ela teve um caso com Trotsky ?
- E aquele bigodinho dela, heim?

Era divertido. Ela com aquela posse achando que estava dando aula em alguma universidade francesa, ficava pra morrer com essas perguntas estilo “Revista Caras”. O pior que ela era gente fina e boa professora, apesar da posse e de não dar muita trela a nossa vontade de fofoca. Às vezes, diante de tanta curiosidade ela começa a contar histórias da vida dos artistas. Eu adorava repeti-las para todos que me perguntavam. Pena era saber que muitos se suicidaram. Até hoje recordo de algumas.






 
Pensando...

Às vezes eu sou tão cronópio. Às vezes eu sou fama



   15.11.04  
Confesso:

Eu gargalho assistindo Bob Esponja (calça quadrada).



   11.11.04  
O abuso do photoshop:

Cara, eu fico me desculpando quando eu tento fazer meus efeitos photoshop nas fotos que posto lá no fotolog que não dão muito certo e tal... aí eu andando calmamente pela rua avisto um outdoor com um anúncio da Palyboy onde Luisa Thomé é a piranha da vez e o que temos lá? Uma mega Luisa Thomé tão retocada, mas tão retocada que o pé dela tá sem dedo. Alguém mais viu isso? Aonde estão os dedos da Luisa Thomé? Aonde?



   10.11.04  
Pensando rápido

Top 5 dos melhores shows que eu já fui:

1- Paul McCartney no Maracanã
2- Rolling Stones no Maracanã
3- Barão Vermelho (abrindo o show dos Stones no Maraca)
4- Cássia Eller na Concha Acústica da UERJ
5- Caetano e Gil na Apoteose

Top 5 de shows onde os acontecimentos off-palco são memoráveis:

1- Noite heavy Metal do Rock in Rio II (Maraca)
2- Madonna (Maraca)
3- LanLan (Rival)
4- Paulinho da Viola (no velho Circo)
5- Belle & Sebastian (Free Jazz)


 
De novo...

Ontem, na tarde perdida de trabalho, meu queridíssimo Marcio (amigo dos tempo de segundo grau que andava fora) me manda uma mensagem me chamando pra ver o Antes do Pôr do Sol. E lá fui eu ver de novo o filme.

Qualquer um que me chamar eu vou junto, eu acho esse filme uma obrigação. E estou solícita a acompanhar a todos.

Eu e Marcio saímos com essa idéia do filme: de fazer uma campanha pra que certas pessoas (pessoas certas) assistam esse filme (ele até sugeriu mandarmos o filme anexado no e-mail para as pessoas - hahahaha). Pena que muita gente pode achar que há nesse "pedido" um certo ar de segundas intenções ou de tomada de satisfação, mas não há.

É só ir lá no cinema e assitir, na boa. É impossível você não se identificar em qualquer um dos diálogos.

Quando eu for Presidente haverá uma lei obrigando (regime ditatorial hehehehe) as pessoas verem esse filme. Ah, e Annie Hall também.



   8.11.04  
Pequenos momentos que ficam na memória:

Ontem, trocando de canal, já indo dormir, parei no Eurochanel e assiti um programa sobre a Bjork. Tanto tempo que eu não ouvia nenhuma música dela (e tanto tempo que eu não via um programa bom no Eurochanel)... matei a vontade. Eram entrevistas, shows, clipes, tudo dessa esquimozinha maravilhosa.

Não aguentei quando tocou Hyper Ballad, uma das minhas preferidas.

Essa música me lembra uma das viagens que eu fiz a São Thomé das Letras (Minas Gerais), em que eu deitava no topo daquelas pedras e ficava escutando no walkman essa música maravilhosa. Nossa, era uma sensação maravilhosa, pois a letra se encaixava perfeitamente naquela atmosfera.

Engraçado, que só quando tocou essa música que me despertou essa memória que eu achava não ter mais. Afinal de "tudo fica um pouco", pode estar bem guardado, escondido, mas está lá... dentro de você.

We live in a mountain
Right at the top
There's a beautiful view
From the top of the mountain
Every morning I walk towards the edge
And throw little things off
Like
Car-parts, bottles, and cutlery
Or whatever I find lying around
I go through all this
Before you wake up
So I can feel happier
To be safe up here with you
It's real early morning
No-one is awake
I'm back at my cliff
Still throwing things off
I listen to the sounds they make
On their way down
I follow with my eyes 'til they crash
Imagine what my body would sound like
Slamming against those rocks
When it lands
Will me eyes
Be closed or open?
I go through all this
Before you wake up
So I can feel happier
To be safe up here with you.



   4.11.04  
Before Sunset



E Celine (Julie Delpy) fala para Jesse (Ethan Hawke):

As pessoas tem um caso, ou até mesmo... relacionamentos inteiros... Eles terminam e esquecem! Eles continuam em frente como quem troca uma marca de cereal!

Eu sinto que eu nunca fui capaz de esquecer ninguém com quem eu estive. Porque cada pessoa tem qualidades específicas. Você nunca pode repô-las. O que está perdido está perdido.

Cada relacionamento, quando termina, realmente me prejudica. Eu não me recupero completamente. É por isso que eu sou muito cuidadosa em me envolver, porque dói muito!

Até mesmo transar! Eu sinto saudade das coisas mais mundanas da pessoa. Já que eu sou obcecada com pequenas coisas.

Talvez eu seja louca, mas eu os vejo em pequenos detalhes, tão específicos para os outros, que me movem, e que eu sinto falta, e vou sempre sentir falta.

Você nunca pode repôr ninguém, porque todos são feitos de tais detalhes de específica beleza.

Como eu me lembro o modo... que sua barba tinha um pouco de vermelho. E como o sol fazia ela brilhar aquela manhã, logo antes de você sair.

Eu me lembro disso, e ...

Eu senti falta disso!






   3.11.04  
Cabelo, cabeleira, cabeludo, escabelada...

Tá, eu sei, não precisam repetir a toda hora: seu cabelo tá grande, né fernanda? seu cabelo cresceu, né fernanda? seu cabelo cresce rápido... nossa, como cresceu...

(cabelo é assim mesmo, gente, ele cresce)

Deixa eu conseguir uma horinha que eu passo a tesoura.