Maria Fernanda
31 anos
Rio de Janeiro / Recife
email

Meu Fotolog

Eu leio

abobrinha
bocozices
montanha russa
meu outro eu
mudando de assunto
ornitorrinco
penso logo hesito
pururuca
mary w

 

Gulinias Antigas


Dezembro 2003

Janeiro 2004

Fevereiro 2004

Março 2004

Abril 2004

Maio 2004

Junho 2004

Julho 2004

Agosto 2004

Setembro 2004

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

 


Powered by Blogger




 


   28.12.04  
"Estou crecendo", pensou Orlando. "Estou perdendo as minhas ilusões, talvez para adquirir outras novas".(...) era um processo desagradável e fastidioso. Mas era assombrosamente interessante (...) e passou em revista, como a uma avenida de grandes edifícios, o progresso de si mesma, ao longo de seu próprio passado."

In: Orlando. Virgínia Woolf


!! FELIZ 2005 !!



   23.12.04  
Não dá pra inovar, não dá pra ser muito diferente... o negócio é seguir a onda, gostando ou não, pois senão a gente corre o risco de se afogar.
A vida nem sempre é boa, eu sei, eu sei. Nem sempre é má, olha quanta gente e coisas maravilhosas que existem... então, não sou eu que vou ser do contra e xingar o natal. Eu não sou a bruxa má e nem desejo isso pra mim e pra ninguém. Desejo que cada um siga sua vida da melhor maneira possível, seja lá o que isso venha ser...
Eu também vou seguindo a minha...
E que tenhamos todos, amigos, um FELIZ NATAL



   21.12.04  
Brasil, meu Brasil Brasileiro...

Ontem eu estive sem São Paulo. E findo o que eu tinha que fazer na terra da garoa sobrou um tempinho antes do vôo de volta e fui bisbilhotar o único museu que abre segunda-feira, o novíssimo Museu Afro-Brasil.

Bem, quem mora em São Paulo, quem passar por lá ou qualquer coisa que valha, não deixa de visitar este Museu. É de babar. O Museu funciona no antigo prédio da prefeitura de SP (conforme nativos da terra me falaram). São três amplos andares onde você encontra desde da arte indígena, até esculturas de Aleijadinho. Das obras de Bispo do Rosário a fotografia de Walter Firmo. Arte popular: carrancas, bonecos de barro, talhas em madeira... pinturas de Almeida Junior, Tarsila do Amaral, esculturas de Brennad, objetos de umbanda, ex-votos, esculturas e indumentárias de manifestações como bumba meu-boi, um colorido de deixar os olhos sonsos. Uma maravilha. Uma ótima opção. Sem falar que é de graça. E fica ali no Parque Ibirapuera, pertinho do MAM e da OCA, pena que os dois estavam fechado, senão ia me acabar.

É isso, a dica ta aí, quem acreditar em mim verá!



   17.12.04  
Discordando da humanidade:

Acho uma petulância falarem que água não tem gosto.



   13.12.04  
Sunday, Bloody Sunday

"I can't believe the news today
I can't close my eyes and make it go away..."

(e a vida de repente fica exposta demais...)



   7.12.04  
A grande família

Estava eu no meu quarto com o ar condicionado na máxima potência, olhando a televisão e me balançando na rede após uma segunda-feira ingrata e calorenta de trabalho, quando de repente entra minha digníssima mãe com um mega chapéu em formato de caramujo.

(Minha mãe está arrumando o quarto da área de serviço. Quarto que tudo sem muita importância e que não cabe mais nos outros aposentos vai se atulhando ali, num desafio a lei da física que diz que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço.)

Pois bem, minha mãe encontrou esse adereço carnavalesco - o chapéu de caramujo com um penacho na ponta - no meio da quinquilharia e ficou 'desfilando' com ele como se fosse a coisa mais normal do mundo. E eu fiquei lá, na minha rede, olhando aquela cena com um certo desdém.

Toca a campainha, é o entregador do China in Box ("minha comida chegou!!!"). Eu que adoro um desafio pergunto a minha mãe:

-Você duvida eu atender a porta com esse chapéu

-Duvido

-Quanto você me paga? (tudo tem um preço, não?)

-Te dou cem reais

Feliz, eu coloco o chapéu na minha cabeça e antes de atender a campainha corro até o meu pai e digo:

-Pai, minha mãe vai me dar cem reais se eu atender a porta com esse chapéu, você vai ser a testemunha

-Nanda, tira isso!

-Não pai, você é a testemunha, eu vou ganhar cem reais

Que testemunha o que, eu te dou duzentos reais pra você NÃO atender a porta com essa coisa na cabeça

Tirei o chapéu e fui atender a porta...






   2.12.04  
Dúvida:

Você consegue rapidamente abrir uma porta corretamente quando ela tem aquela etiqueta "puxe" ou "empurre", ou você é que nem eu que tem que pensar que empurrar é pra frente e puxar é para trás?