Maria Fernanda
31 anos
Rio de Janeiro / Recife
email

Meu Fotolog

Eu leio

abobrinha
bocozices
montanha russa
meu outro eu
mudando de assunto
ornitorrinco
penso logo hesito
pururuca
mary w

 

Gulinias Antigas


Dezembro 2003

Janeiro 2004

Fevereiro 2004

Março 2004

Abril 2004

Maio 2004

Junho 2004

Julho 2004

Agosto 2004

Setembro 2004

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

 


Powered by Blogger




 


   24.12.05  
FELIZ NATAL

e um

2006 SHOWTIME!!!


(clica no link, pq vale muita a pena)



   20.12.05  
Post Truque
(pegando escritos que estavam perdidos em alguma pasta do computador)

Aqui não há tantas estrelas para serem apreciadas, a lua se esconde por entre todos os imensos prédios que sobem, sobem a caminho do céu. Aqui não se vê tanta calma e não se pára para conversar sem um objetivo certo. Aqui os caminhos são mais curtos por causa dos carros, mas as distâncias são bem mais longas. Entre um e outro existe muito concreto, muita fumaça, muito cano de descarga, muito sinal vermelho. Às vezes há uma brisa, bem de leve, que balança a cortina e você chega a pensar em algo sobrenatural. Seriam fadas, seriam bruxas? E seu pensamento é cortado, ao longe, por um tiro. Como encontrar poesia em meio a tanto barulho, em meio a tanta gente que não se cumprimenta. Eu sento ao seu lado, eu peço licença pra entrar, alguém ascende meu cigarro, mas não há nada além que me ligue a essa ou aquela ou outra ou qualquer pessoa.



   17.12.05  
não vá se perder por aí...



   14.12.05  
Relatividade (aqui e ali)

A velocidade, o tempo, o espaço, a luz, a energia, o movimento, a contração, a gravidade, a tensão, a dor, a ação, a unidade, a massa, o volume, o atômo, a densidade, a areia, a energia, o espectro, a inércia, as pedras, a equação, a água, o tesão, os cálculos, a comida, o absoluto, o sorriso, a partícula, o beijo, a origem, a coca cola, o sexo, a dinâmica, a amizade, o rastro, a distância, a poeira cósmica, a poluição, a palavra, o buraco negro, as ondas, o efeito, a força, o paraíso, a lealdade, o fóton, o cosmo, os raios, a propaganda, a equivalência, o zero, os princípios, a radiação, o sentimento, as perdas, as leis, a refração, o vácuo, a felicidade, o quântico, a ação, a reação, o eu (e você também) e deus.

Tudo relativo: E = mc², ao quadrado, ao quadrado!!

Seu Einstein, não entendi a fórmula, explica de novo?



   13.12.05  
When I'm watchin' my TV
And that man comes on to tell me
How white my shirts can be
But he can't be a man 'cause he doesn't smoke
The same cigarrettes as me
I can't get no...



   12.12.05  
CALÚNIA, essa palavra é podre, feia, cínica. As pessoas que a usam geralmente são também cínicas, hipócritas, sonsas: "Que calúnia!!", exclamam elas.

Que sociedade é essa que vivemos capaz de criar pessoas que falam uma frase assim?!?!?

(Quem fala CALÚNIA normalmente pede MODERAÇÃO aos mais exaltados. Definitivamente prefiro estar longe disso tudo.)



   11.12.05  
MODERAÇÃO, taí uma palavra que eu não gosto.



   9.12.05  
Ela disse que gostaria saber escrever crônicas...

Depois de ler a primeira parte do livro "Melhores Crônicas de Moacyr Scliar" e de ter gostado muito muito muito, resolvi ler o prefácio do livro pra poder conhecer mais sobre este escritor.

Alguns anos atrás eu li um romance dele: "A mulher que escreveu a Bíblia", que eu achei bom, mas que não chegou a me despertar o interesse de saber mais sobre Moacyr Scliar.

Mas agora foi diferente. As crônicas dele me pegaram de jeito. E o prefácio do livro, escrito por Luís Augusto Fischer, me encantou ao definir o que seria um cronista, diz assim:

"De certa forma, todo cronista é um anacrônico, um velho sábio, e um marginal, um deslocado, metaforicamente falando; isso porque todo cronista precisa considerar as coisas que colhe na vida diária, e que serão o combustível de sua escrita, como quem as estranha, as olha de longe, de cima, de fora - e portanto panoranicamente, como quem pode servir-se da experiência larga para ajuizar sobre o valor das coisas singulares do dia, e do estranhamento radical para enxergar o tamanho relativo das mesmas coisas."

"as coisas que colhe na vida diária", "ajuizar sobre o valor das coisas singulares do dia"... ela (e seu outro eu) não devem saber, mas já fazem isso.



   8.12.05  
"...e então às vezes eu acho que as pessoas que as quais devemos nos sentir mais triste são aquelas que um dia souberam o que era ser profundo, mas que perderam ou ficaram entorpecidas pela sensação do maravilhoso – pessoas que fecharam as portas que nos levam ao mundo secreto – ou que tiveram as portas fechadas para elas pelo tempo, pelo abandono e por decisões tomadas em momentos de fraqueza."

COUPLAND, Douglas. Primeiro, o amor. Depois, o desencanto (e o resto de nossas vidas). Rio de Janeiro: José Olympio, 1995.



   6.12.05  
ADORO ADORO ADORO!

- O amarelo de Van Gong

- Desenhar a clave de sol

- Recitar poemas para mim mesmo

- Olhar e escutar a noite

- Falar a palavra "pacotinho"

- Escrever a letra H

- Entrar em lojas de ferramentas

- Dormi com o pé para fora da cama



   5.12.05  
Filmes pra não esquecer III



Agora que eu não esqueço mesmo.Comprei o DVD.
Minha mãe também está muito satisfeita e não vai ficar delirando pedindo que a TVA tenha um canal Tomate (no qual só passaria Tomates Verdes Fritos).



   1.12.05  
Hei Bob pai...
O que foi Bob filho...


Então é assim... sempre que eu chego muito cheia de carinho e afeto pro meu pai ele já desconfia.

- O que você vai pedir!?!

Na verdade, eu sempre vou pedir alguma coisa, mas geralmente nem é algo tão mirabolante. Às vezes é um simples copo d'água ou uma soda limonada antarticaaaaá (tem que falar o nome completo, claro). Tudo bem que o copo d'água é só ele ir até a cozinha; já a soda limonada antarticaaaaaá, ele tem que ir no botequim comprar... mas são pedidos simples.

Pois bem, meu pai tá arrumando a gaveta dele. Ele está há dois dias rasgando papel. Por que na verdade não é uma gaveta, é um armário com papel, só papel... O quarto dele parece um sítio arqueológico. Claro que no meio dessas escavações ele acha vários recadinhos de suas filhas queridas... e aqueles presentes inúteis de dias dos pais etc e tal...

Ele acabou de entra aqui no meu quarto e falou pra mim:

- Imgina o que você não pediu depois disso!

eu não entendi

- Olha isso!!!

e me estendeu um micro papel de carta escrito, por mim, o seguinte recado:

Papai,
Tudo sempre começa com um SIM!
mil beijos,
maria fernanda



Aposto que não era um copo d'água que eu queria...